Para criar um animal com segurança, é bom que se saiba as principais doenças que os acometem. Para cada animal existem certas doenças típicas que ele corre o risco de contrair alguma vez na vida. Conhecendo as principais doenças você saberá identificar certos sintomas e antecipar o seu tratamento procurando um veterinário com antecedência. Listaremos agora as principais doenças dos gatos, os seus sintomas mais visíveis e os tratamentos usuais que são prescritos pelos veterinários.

Principais doenças dos gatos

Doenças específicas dos gatos

  • Vírus da Imunodeficiência felina (FIV): É a doença conhecida como o HIV dos gatos. Sendo específica dos felinos, essa doença é transmitida por um vírus que atua diminuindo a imunidade do gato, expondo-o facilmente à infecções e outras doenças. É transmitido por um gato infectado a outro, e o sangue é o principal meio. Pode ser contraído em brigas de gatos nas quais acontece exposição ao sangue do outro. Sintomas: O vírus pode ficar incubado até 5 anos sem que saiba de sua existência e sem manifestar sintomas. Mas quando eles aparecem causam perda de apetite, febre, emagrecimento, diarreia e dificuldades respiratórias.
    Tratamemto:
    Não existe cura para a FIV, embora seja possível que o gato leve uma vida normal e longa se bem alimentado com rações balanceadas e suplementos vitamínicos. As vacinas devem estar em dia e o gato não deve sair para a rua para não contaminar outros animais e se expor à outras doenças.
  • Peritonite infecciosa felina (PIF): É uma doença infelizmente letal, que ataca vários órgãos, o abdómen, o fígado, rins, cérebro e sistema nervoso. Infecções e abcessos são causados nessas áreas. A transmissão se dá através do contato com as fezes de outro gato contaminado, através do uso da mesma liteira ou da amamentação das crias pela mãe contaminada.
    Sintomas:
    Falta de apetite, magreza, diarreia, anemia febre intermitente, abdómen inchado, gânglios linfáticos aumentados.
    Tratamento:
    Infelizmente não existe tratamento para esta doença. Os gatos contaminados podem viver no máximo dois anos e mesmo assim somente com tratamento de apoio.
  • Vírus da leucose felina (FELV): Assim como a FIV, este vírus diminui a defesa imunológica do organismo e expõe os gatos à infecções e outras doenças. Além disso tumores podem ser desenvolvidos e leucemias mortais. O meio de transmissão se dá pelas lágrimas, saliva, urina, fezes e amamentação.
    Sintomas:
    Os mesmos sintomas da FIV acrescidos de infecções crônicas na boca, inflamações purulentas persistentes. Felizmente 25 a 30% dos gatos não absorvem os vírus. Entretanto, 30% dos gatos contraem o vírus em sua forma elevada, podendo desenvolver linfoma. 40% desenvolvem uma infecção passageira mas tornam-se portadores do vírus que pode se manifestar outras vezes ao longo da vida se o organismo estiver debilitado por alguma outra razão.
    Tratamento:
    O tratamento é paliativo, não havendo cura definitiva para a doença. Boa alimentação e suplementação alimentar, evitar o contato com outros animais, bebedouros, comedouros e liteiras, manter o gato dentro de casa. Quando portador do vírus o gato vive em média 2 anos, mas pode chegar até 3 anos e meio segundo estudos. Felizmente, existe uma VACINA CONTRA FELV, consulte seu veterinário sobre sua aplicação.
  • Diabetes: Assim como os humanos, a diabetes felina é causada pela alta taxa de açúcar no sangue, que, por sua vez, tem como causa primeira a deficiência do pâncreas em produzir insulina, o hormônio responsável pela regulação dos níveis de açúcar. Tentando eliminar a glicose (açucar) por outros meios, surgem os sintomas. Ela é causada por predisposição genética e obesidade.
    Sintomas:
    Sede em excesso seguida de urina volumosa. Perda de peso apesar do apetite aumentado.
    Tratamento:
    Assim como nos humanos o tratamento se dá pela aplicação de insulina durante toda a vida e uma dieta específica.
  • Cálculos urinários: Consulte esse artigo em que falamos mais sobre cálculos urinários em gatos.
  • Obesidade É muito comum principalmente em gatos castrados que se tornam mais sedentários e sonolentos. Dietas inadequadas e em excesso também entram nas causas deste problema que acomete um entre dez gatos!
    Sintomas:
    Além do sintoma visível da gordura acumulada no gato, o seu aumento de peso e de volume, outros sintomas são gerados, como diabetes, doenças cardíacas, pulmonares, dificuldades motoras e de locomoção.
    Tratamento:
    controle da dieta, diminuindo a frequencia e a quantidade, e incentivo de exercícios físicos através de brincadeiras.

 

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO prescrevemos substâncias ou tratamentos veterinários. NUNCA faça tratamentos em seu animal ou utilize substâncias, mesmo que naturais, sem a indicação de um veterinário.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)