Gatos são companheiros que vivem por um longo tempo se receberem os melhores cuidados e o carinho que merecem. Mas quanto tempo pode viver um gato? Qual a média de tempo de vida desses bichanos? Vamos entender e também aprender sobre os cuidados necessários com gatos a medida em que eles envelhecem.

Quanto tempo o gato vive?

Os gatos estão vivendo mais do que nunca. Com melhorias na nutrição e medicina veterinária, incluindo vacinas e agentes terapêuticos, os gatos vivem mais de 15 anos de idade e, em alguns casos, até mais de 20 anos de idade. A expectativa de vida depende de muitas coisas, incluindo um fator importante: se seu gato é um gato de interior ou um gato que vive ao ar livre.

Os gatos que vivem no interior de casas e apartamentos geralmente vivem de 12 a 18 anos de idade. Muitos podem viver para ser no início dos anos 20. O gato mais velho relatado viveu até 28 anos de idade.

Os gatos que vivem ao ar livre geralmente tem vidas mais curtas devido a serem mais propensos a estarem envolvidos em traumas como acidentes com veículos motorizados ou ataques de cães. Os gatos ao ar livre também são mais suscetíveis a vários vírus que ameaçam a vida, incluindo o vírus da imunodeficiência felina (FIV) e a leucemia felina que se propagam ao lutar ou entrar em contato com um gato infectado.

Gatos vivem

Gatos podem viver por um tempo considerável, e é importante dar muitos cuidados a esses bichinhos para eles terem uma vida saudável. (Foto: iHeartCats.com)

Gatos vivem quantos anos com bons cuidados?

Há muitas coisas que você pode fazer para ajudar seu amigo felino a viver feliz e saudável. Seu papel é essencial para perceber pequenas mudanças no comportamento do seu gato ou bem-estar geral. Você pode fazer isso realizando um exame mini-físico semanal por conta própria. Se você não tem certeza sobre como fazer isso, pergunte ao veterinário na próxima vez que seu gato visitar. Mas basicamente, um exame preventivo envolverá procurar protuberâncias nos gatos para detectar possíveis tumores, observar olhos, orelhas, e mucosas no geral para qualquer sinal de irritação ou problemas, e observar o andar do gato e seu comportamento. Também esteja atento às mudanças na ingestão de água, apetite, padrões respiratórios, qualidade dos pelos, tosse, habilidades físicas, e hábitos de higiene.

Cuidados para gatos viverem mais tempo

Se você quer seu gato vivendo mais tempo, alguns cuidados são essenciais para o bichano. São eles:

  • Vacinação de rotina
  • Check-ups veterinários regulares, incluindo um exame físico
  • Dieta equilibrada para se adequar à idade do seu gato
  • Manter uma faixa de peso saudável
  • Exercícios, com você participando regularmente de um tempo de recreação moderado para sue gato
  • Fornecer um ambiente livre de estresse

Gatos e o envelhecimento

O processo de envelhecimento é acompanhado por muitas mudanças físicas e comportamentais: O sistema imunológico de gatos mais velhos é menos capaz de defender os invasores. A pele é mais fina e menos elástica, com a circulação sanguínea reduzida e sendo mais propensa à infecções. Os gatos mais velhos se cuidam com menos eficácia do que os gatos mais jovens, por vezes, resultando em problemas capilares, odores da pele e inflamação. As garras dos felinos envelhecidos são muitas vezes crescidas, grossas e quebradiças e precisarão ser cortadas com mais frequência. A perda auditiva é comum em gatos de idade avançada.

O envelhecimento também é acompanhado por muitas mudanças nos olhos. Uma pequena turvação da lente é uma mudança comum relacionada à idade e, na maioria dos casos, não diminui a visão de um gato de forma apreciável. No entanto, várias doenças, especialmente as associadas à hipertensão arterial, podem prejudicar de forma séria e irreversível a capacidade de um gato para ver.

A doença dental é extremamente comum em gatos mais velhos e pode dificultar a ingestão e causar dor significativa. Embora muitas doenças diferentes possam causar perda de apetite, em gatos mais velhos saudáveis, uma sensação de cheiro diminuída pode ser parcialmente responsável por uma perda de interesse em comer. No entanto, o desconforto associado à doença dentária é uma causa mais provável de relutância em comer.

Os rins felinos sofrem uma série de mudanças relacionadas com a idade que, em última instância, podem levar a uma função prejudicada; A insuficiência renal é uma doença comum em gatos mais velhos, e seus sinais são extremamente variados. Identificando as alterações nos rins mais cedo, proporcionará uma melhor qualidade de vida.

A doença das articulações degenerativas, ou artrite, é comum em gatos mais velhos. Embora a maioria dos gatos artríticos não se tornem excessivamente prejudicados, podem ter dificuldade em acessar caixas de areia e pratos de comida e água, especialmente se tiverem que pular ou subir escadas para chegar até eles. Os gatos com artrite ou doença das articulações podem se cuidar menos e são menos inclinados a apreciar um carinho na área das costas ou da cauda.

Hipertiroidismo; hipertensão arterial (pressão alta); diabetes; doença inflamatória intestinal; e o câncer são exemplos de condições que, embora às vezes vistas em gatos mais jovens, se tornam mais prevalentes nos gatos à medida que envelhecem.

Nos seres humanos, as mudanças no envelhecimento no cérebro contribuem para a perda de memória e alterações na personalidade comumente referida como senilidade. Sinais semelhantes são observados em gatos idosos: errantes, miados excessivos, desorientação aparente e evitação da interação social.

Tome cuidado de seu gatinho para que ele viva muitos anos e assim, você terá um companheiro para envelhecer com você.

Qual a idade do seu gato? Qual o gatinho mais velho que você já teve?

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO prescrevemos substâncias ou tratamentos veterinários. NUNCA faça tratamentos em seu animal ou utilize substâncias, mesmo que naturais, sem a indicação de um veterinário.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)