Ter medo de cães, até um certo grau, é natural, principalmente se você é um estranho a eles. Isso te protege de acidentes e ataques de cães que possam te encarar como um possível intruso. Quando esse medo se torna irracional, ao ponto de te paralisar mesmo em frente aos cães mais amigáveis, você pode estar sofrendo de cinofobia, que é a fobia de cães. Não tratada, assim como qualquer outra fobia, a cinofobia pode severamente interferir com o trabalho, na escolha, e até nas relações sociais.

Medo de cachorro: a fobia é um problema sério

Fobias são classificadas como um tipo de transtorno de ansiedade, em que a exposição a um objeto, atividade ou situação temida podem causar transpiração excessiva, tremores, palpitações cardíacas, dificuldade em respirar, incapacidade de pensar ou falar claramente, e até mesmo um ataque de pânico completo. A cinofobia então, não é simplesmente uma aversão a cães; é um intenso sentimento de medo com a visão de um cachorro, mesmo que seja apenas na televisão ou através de uma janela.

Muitas vezes, uma pessoa com cinofobia pode ter um ataque de ansiedade apenas ao pensar sobre encontrar um cão. Eles podem entender intelectualmente que um cão na TV não representa qualquer perigo, mas isso não os impede de ter uma reação de ansiedade.

 

Fobia de cães e preconceito

O problema das fobias, na maior parte das vezes, é o preconceito. Por isso, é muito importante que você procure grupos de apoio e profissionais para te orientarem e te oferecerem o suporte que você precisa nesse momento tão delicado. (Foto: www.hypnosisondemand.com)

Eu tenho medo de cachorro: o primeiro passo no tratamento!

Apesar de cobras e aranhas serem fobias de animais mais comuns, a cinofobia é especialmente debilitante porque os cães são uma parte muito intrínseca da vida cotidiana, sendo praticamente impossível de evitá-los. E para alguém com cinofobia, não importa se o cão é um filhote de cachorro minúsculo, um chihuahua ou um cão de guarda: todos são igualmente assustadores. Assuma esse medo, procure profissionais e grupos de suporte a fobias, e comece seu tratamento o quanto antes. Não deixe que por conta de “todo mundo gostar de cachorro” você se sinta obrigado a perder o medo sem o devido acompanhamento.

Medo de cachorro: a psicologia por trás da fobia

Como todos os medos irracionais, a cinofobia é um mecanismo de proteção criado pelo inconsciente. O indivíduo tem geralmente medo de ser arranhado, mordido ou atacado por um cão, mas pode não ter qualquer ideia de onde esse medo se originou. É possível, porém, que eles tiveram uma experiência assustadora com um cão em uma idade jovem, mas não se lembram em detalhes.

As crianças e os adultos podem desenvolver cinofobia depois de ser atacados ou mordidos por um cão, ou ver outra pessoa ter uma má experiência com um cachorro. Além disso, os pais que têm um forte medo de cães às vezes pode transferir esse comportamento aos seus filhos. Por outro lado, a exposição cedo a cães de bom temperamento parece diminuir a probabilidade de uma pessoa desenvolver cinofobia quando adultas.

Tenho medo de cachorro: o que fazer?

Com ajuda profissional, o medo de cães geralmente pode ser superado. No entanto, muitos evitam o tratamento porque tem vergonha de ter medo de um animal que as pessoas tanto amam. Para outros, a ideia de confrontar seu medo de cães é tão terrível quanto lidar com a cinofobia. Se alguém tem um desejo de conquistar seu medo de cães, as opções terapêuticas disponíveis são variadas, com o mesmo grau de efetividade.

  • Terapia cognitivo comportamental: com o auxílio de um psicólogo ou psicóloga, na terapia cognitiva há o emprego de estratégias e técnicas de mudanças de comportamento, bem como mudanças de hábitos para lidar melhor com a fobia.
  • Terapia de dessensibilização sistemática: usada na terapia cognitivo comportamental, trabalha com a exposição gradual ao elemento que provoca a fobia (fotos, imagens, vídeos, sons, e até a cães reais e treinados para esse tipo de trabalho), combinada com técnicas de relaxamento e respiração para dessensibilizar uma pessoa a sua fobia em um ambiente controlado.
  • Grupos de apoio: muitos grupos de apoio para fobias e até pessoas que tem medos de cachorro existem ao redor do Brasil e pela internet afora. Compartilhar suas experiências ajuda bastante na hora de dar os primeiros passos no tratamento.
  • Ansiolíticos: em alguns casos, quando a ansiedade atinge níveis alarmantes e em conjunto com o trabalho do psicólogo, um psiquiatra pode e deve receitar o uso de ansiolíticos para ajudar a acalmar o paciente nas crises de pânico, e manter o tratamento ao medo de cães por um período prolongado de tempo.

A programação neurolinguística (PNL) tem um funcionamento semelhante ao da terapia cognitivo comportamental, mas com resultados que ainda requerem um crivo científico para comprovar sua eficácia. A hipnose tem resultados científicos questionáveis e por isso, não recomendamos como tratamento.

Como perder medo de cachorro: saiba que você não está sozinho

Se você sofre de cinofobia, saiba que você não está sozinho. Há muitas outras pessoas que compartilham seu medo de cães, e muitas outras pessoas dispostas a te ajudar a superar esse medo. Você não deve sentir que isto é apenas algo com o qual você deva viver pelo resto da sua vida, porque com o tratamento adequado, tempo e esforço, você pode superar a cinofobia e ter uma melhora considerável na sua qualidade de vida. Quem sabe, um dia, você até adota um bichinho de estimação?

Você tem ou já teve medo de cães? Como você trata ou lida com esse medo?

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO prescrevemos substâncias ou tratamentos veterinários. NUNCA faça tratamentos em seu animal ou utilize substâncias, mesmo que naturais, sem a indicação de um veterinário.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)